A HISTÓRIA DO NOME

 

Von Stephanitz nomeou a raça de Deutscher Schäferhund, literalmente traduzido para "Pastor Alemão".

 

A raça foi nomeada considerando o propósito original de ajudar os pastores em pastoreio e proteção das ovelhas. Na época, todos os outros cães de pastoreio da Alemanha foram chamados por este nome, também conhecidos como Altdeutsche Schäferhunde ou cachorros velhos pastor alemão.

Os Pastores foram os primeiros cães exportados para a Grã-Bretanha em 1908. O Reino Unido Kennel Club reconheceu a raça em 1919.

A tradução direta do nome foi adotada para uso no registro oficial da raça, no entanto, no final da Primeira Guerra Mundial, acreditava-se que a inclusão da palavra "alemão" prejudicaria a popularidade da raça, devido ao sentimento anti-alemão da época.

A raça foi oficialmente renomeada pelo Kennel Clube, do Reino Unido, para "Cão Lobo da Alsácia" que também foi adotado por muitos outros clubes do canil internacional. Eventualmente, o apêndice "cão lobo" foi descartado.

 

O nome da Alsácia permaneceu por cinco décadas até 1977, quando campanhas bem-sucedidas por entusiastas do cão, pressionaram os clubes e canis britânicos para que permitissem que a raça fosse registrada novamente como cães "Pastor Alemão".

 

A palavra "Alsatian" ainda aparecia entre parênteses, como parte do nome, sendo suprimido em 2010.